BEM VINDO AO BLOG O SOM E A FÚRIA

MESMO QUE VOCÊ ENTRE NO BLOG E NÃO ENCONTRE NADA NOVO NÃO DESISTA, TENTE OUTRO DIA!

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

POESIA DE UM LOUCO DE BOA MEMÓRIA.

Era dez horas, quase meio dia, o sol raiava e a noite surgia nas campinas dos verdes mares. Vendo toda essa natureza um velho moço, sentado em um bando de pedra feito de pau que não tinha o acento e faltavam os pés, contemplava a cidade,do seu lado um cego lia jornal de trás para frente sem páginas e sem letras, de cabeça para baixo.
À sua direita – bem à esquerda – um mudo dizia:- O mundo é uma bola quadrada que gira parada!
Bebendo água num copo sem fundo que não tinha boca um negro expunha ao vento sua linda cabeleira loira e dizia: – Prefiro a morte do que morrer!
Longe dali bem perto, em um bosque sem árvores, os passarinhos pastavam, enquanto isso as vacas voavam de galho em galho à procura de seus ninhos.
Longe dali, bem perto, um carroceiro com um navio encalhado no asfalto incolor, berrava baixinho: – Hei de caminhar voando por uma estrada longa, bem curta, onde as curvas são retas!
No meio das trevas iluminadas, um homem careca, ficou com os cabelos arrepiados ao ver os olhos fechados bem abertos de um morto-vivo. Mais adiante, aqui, enquanto dois mudos cantavam,os surdos, que não tinham nada pra fazer, ficavam ouvindo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário